terça-feira, 28 de janeiro de 2014

ROBSON LEITE - CARTA ABERTA AOS COMPANHEIROS E COMPANHEIRAS DE SONHOS, LUTAS E CAMINHADAS



Como vocês sabem, venho defendendo publicamente, desde junho de 2013, a ruptura do PT do RJ com o PMDB dos governos Cabral e Paes, mesmo que isso representasse a perda do nosso mandato, pois sou suplente e essa ruptura significaria a volta dos dois secretários para a Alerj, que hoje estão no governo do estado e são deputados. Fizemos isso por entender que esses governos desrespeitam e agridem professores, submetem o interesse público ao privado - em especial na questão da mobilidade urbana-, enfim, não têm a nossa identidade. Pior do que perder o mandato é perder a identidade e essa aliança está destruindo a identidade do PT. (Veja o vídeo de julho do ano passado onde explicitamos essa posição)

Além disso, temos candidato próprio, com programa de mudança para o estado, construído de forma democrática e participativa.

No último dia 25 de janeiro, foi noticiado pela imprensa a oficialização desse rompimento, ratificado pela Executiva Estadual do PT em 27 de janeiro. Mesmo sendo muito tarde frente a real necessidade dessa ruptura, entendemos que esse novo momento sinaliza um importante passo no resgate dos valores que permearam a nossa construção histórica. Entretanto, para que isso se concretize, será fundamental a ruptura também com o Governo Eduardo Paes. E isso vai muito além do que uma simples visão pragmática das eleições do ano que vem: é a consolidação da reconstrução de um projeto político de esquerda diretamente ligado aos interesses dos trabalhadores e trabalhadoras em nosso estado.

Foram muitas vitórias ao longo desses três anos de mandato e não poderíamos deixar de mencionar uma parte delas, como a aprovação do relatório da CPI das Universidades Privadas na Alerj com todos os encaminhamentos, inclusive os indiciamentos e o pedido de intervenção na GamaFilho e UniverCdidade; a briga com o MEC pela intervenção e a defesa dos alunos, pais, professores e funcionários nos seus direitos; a luta constante e incondicional com os profissionais da Educação, votando sempre com eles; a participação e defesa dos professores do município do Rio que sofreram as agressões da PM durante a ocupação da Câmara Municipal – onde estive presente lutando contra os abusos da polícia– ; a aprovação da nossa lei das férias escolares unificadas em janeiro; a lei que obriga o uso prioritário de software livre nas repartições públicas estaduais; a aprovação da dedicação exclusiva para a UERJ; a defesa incondicional dos pontos de cultura, a luta pela aprovação da lei estadual de cultura e a nossa atuação como presidente na Comissão de Cultura da Alerj; a luta pela aprovação do nosso projeto de lei para erradicação do trabalho escravo; a assinatura em todas as CPIs contra o governo Cabral onde ficou claro o uso indevido de recursos públicos; na vitória da luta dos músicos na crise da Orquestra Sinfônica Brasileira, entre outras.

Sigo na luta. Voltarei para a minha Petrobras, onde sou servidor concursado, e reassumirei também minhas funções como educador. Continuarei lutando ao lado dos moradores de Jacarepaguá, dos profissionais da Educação, dos companheiros e companheiras do PT e da esquerda, do Pré-Vestibular para Negros e Carentes, feliz com a sensação de dever cumprido. De que, como católico, ter “combatido o bom combate”, mesmo com as limitações da suplência. De ter feito do nosso mandato um instrumento de luta dos trabalhadores e das trabalhadoras, de defesa dos excluídos e dos mais necessitados, enfrentando quem precisasse enfrentar.

O ano de 2014 será importante para o nosso estado e continuarei lutando em prol das mesmas causas e contando sempre com o apoio dos antigos amigos e dos novos que se juntaram em nossa caminhada.

Paz e bem a todos e vamos juntos, sempre juntos. Sem você, literalmente, não dá.

Robson Leite

Nenhum comentário:

Postar um comentário